Samsung Pay e o mercado americano

samsung-pay-mobiler-bezahldienst

A Samsung se prepara para lançar sua carteira digital “Samsung Pay” nos Estados Unidos da América. Veja a matéria: U.S. Market Prepares for the Debut of Samsung Pay

Além da sua própria tecnologia MST – Magnetic Secure Transmission (veja nosso post de 19/02/15), que torna possível fazer uma transação de pagamento em qualquer terminal POS, Samsung Pay também se utiliza de Near Field Communication (NFC), verificação da impressão digital e tokenização. Uma promessa de transação segura, rápida e eficiente.

UK iPhone users unsure on Apple Pay

Forrester analyst Thomas Husson comments: “Apple still has to demonstrate the added value it will bring to merchants (better experience, faster checkout, incremental revenues, etc.) and brands. Also, Apple needs to create trust among UK consumers.”

Lei mais em: New research from Forrester

Apple pede patente para sistema de pagamento P2P

Na semana passada a Apple entrou com o pedido de patente na agência Norte Americana para seu sistema de pagamento entre pessoas (P2P), utilizando iPhones e Apple Watches.

De acordo com a matéria da Business Insider, o sistema permitirá que os usuários escolham um cartão de sua carteira eletrônica no seu iPhone, insiram o valor que desejam pagar e, autentiquem através do toque ID. Em seguida, um “pacote” de pagamento criptografada é enviado para a pessoa que recebe o pagamento, incluindo o valor do pagamento, verificação e uma “credencial” de pagamento, que poderá representar detalhes de cartões de pagamento do remetente. Detalhes do pedido da patente podem ser vistos em PERSON-TO-PERSON PAYMENTS USING ELECTRONIC DEVICES.

Não quero discutir o valor de uma patente, entretanto, em meios de pagamento, o valor do negócio será determinado pela capacidade do empreendedor em atrair grande quantidade de clientes para sua plataforma, em uma velocidade viral.

Em meios de pagamento é necessário atrair os dois lados ao mesmo tempo, o pagador e o recebedor. A vantagem da Apple é que ela já tem clientes que utilizam diariamente um iPhone, mas ainda terá que convencê-los a utilizar sua carteira eletrônica ao invés de seus concorrentes.

A patente pode ser apenas uma ferramenta para tentar impedir novos concorrentes.

Digital Wallet! Como conquistar o coração do cliente?

No Brasil ainda aguardamos ofertas de “carteiras digitais” que sejam aceitas pelos estabelecimentos comerciais, mas dependemos das iniciativas dos emissores de cartões de pagamentos e das Credenciadoras (Acquirers). Com a concentração bancária (que pode piorar, dependendo do destino do HSBC) e a verticalização das Credenciadoras, será muito difícil termos avanços importantes no curto prazo. Veja o post “O lento progresso…”

A tecnologia esta disponível nos mercados maduros, tanto para os consumidores quanto os lojistas, mas ainda falta o que o David Evans chamou de “ignite”, ou seja, “inflamar”, “pegar fogo”, etc.. Já falamos sobre a teoria micro econômica que explica a industria de pagamentos, a qual se deu o nome de “Two-Sided Market”. É necessário conquistar uma quantidade razoável de consumidores e lojistas dispostos a pagar e receber através de um smartphone.

Apple e Google sabem disso e estão tentando de todas as formas conquistar os consumidores. Essa batalha incluí facilitar ao máximo que o usuário baixe o APP em seu smartphone e, principalmente, ative sua Carteira Eletrônica. Quando você tem uma quantidade significativa de clientes querendo pagar com o celular, lojistas se sentiram muito motivados a adotar essa tecnologia para receber seus pagamentos.

Em seu post  “WHAT MOBILE WALLETS AND SMARTPHONE CAMERAS NOW HAVE IN COMMON”, Karen Webster faz uma análise crítica sobre a tentativa da Apple e Google em oferecer seus APP já pré-carregados em seus smartphones, vis a vis, o comportamento do usuário de APP.

Parece ainda faltar ao consumidor um grande motivo, uma experiência única, uma razão forte para querer muito mudar de hábito e, aí assim, adotar a Carteira Eletrônica (Digital Wallet) em suas experiências de consumo.

O que faria você a mudar de hábito?

It takes two to tango!

Tango

Uma nova analise aponta os problemas iniciais com Apple Pay. A empresa Pheonix Marketing realizou uma pesquisa com 3.000 usuários no final de fevereiro, quatro meses após a introdução da Apple Pay.

Veja a matéria: Apple Pay unable to fulfill user demand, survey shows

Assim como no tango, são necessários que os dois lados deste mercado estejam juntos e preparados, para que uma nova forma de pagamento alcance seu objetivo. Vale a pena conferir a teoria microeconômica “mercado de dois lados” no capítulo 3 do livro “Do Escambo à Inclusão Financeira – A Evolução dos Meios de Pagamento”.

A Apple tem a seu favor a possibilidade de colocar nas mãos de seus clientes uma ferramenta poderosa de pagamento, mas é necessário criar uma rede de aceitação de tamanho importante, caso contrário nunca atingirá o seu objetivo.

Neste sentido, a Samsung Pay terá uma vantagem significativa. Enquanto a Apple Pay só funciona com máquinas que possuam o padrão de conectividade NFC, a Samsung Pay (com tecnologia Loop Pay) pode ser usado em qualquer terminal de captura com leitor de tarja magnética.

Ainda sobre Mobile Payment…

Nas palavras de Ajay Banga, Presidente e CEO da MasterCard, sobre Mobile Payment: “Se você adicionar valor, as pessoas irão utilizá-lo. Mas se tudo o que você esta dizendo é – ao invés de pegar o cartão de pagamento no seu bolso, agora você vai utilizar seu celular para pagar uma conta – Eu não sei qual problema você esta solucionando”

Não há nenhuma dúvida de que o mundo físico e o digital estão se convergindo e que o celular, dada as suas características, é o principal instrumento nessa convergência. Entretanto, mudar o hábito do consumidor é uma tarefa difícil. Até mesmo a “memória muscular” entre em cena.  

Ajay Banga ainda comenta: “Embora a tecnologia muda rapidamente, os hábitos de consumo se mover em um ritmo lento, e é preciso muito para criar uma mudança de mentalidade”.

Você deve se lembrar que levamos um bom tempo para nos ajustar ao uso de senhas no ato de fazer um pagamento com cartão, se não fosse a insistência dos bancos, ainda estaríamos assinando a cada compra. Hoje é muito simples fazer um pagamento, basta inserir o cartão no terminal e digitar uma senha. Muitos de nós já nem coleciona os recibos para conferência.

O que o levaria a mudar esse hábito? O celular simplifica esse ato?

Por que, seis meses depois do lançamento nos Estado Unidos, 85% dos consumidores que possuem um iPhone 6 nem sequer experimentaram o Apple Pay?

Veja mais em: HAS THE MOBILE PAYMENTS NOISE CALMED?

Mobile Payment – A disputa entre Apple Pay e Samsung Pay promete ser interessante!

Nada oficial, mas as notícias dão conta de que a Samsung deve lançar seu projeto de mobile payment, em outubro/15, sem cobrar das empresar de cartão de crédito na Coreia. Será que o mesmo pode acontecer nos Estados Unidos?

Bem, são mercados muito diferentes, por exemplo, sabe-se que a Coreia tem um dos maiores índices de utilização de cartões de pagamento, superior a 60% do consumo privado das famílias Coreanas. Cada adulto possui, em média, cinco cartões de pagamentos, entre cartões de crédito e débito. Os Coreanos também adotam novas tecnologias com muita facilidade. Somando-se esses fatos, é possível imaginar o sucesso da Samsung Pay em seu território.

Resta saber como será a batalha no território norte-americano, ou melhor, na casa da Apple.  Veja mais em: Samsung Pay.

Fraude com Apple Pay ? Quem diria! Mas onde há dinheiro haverá tentativa de fraude.

Você já sabia, mas vale lembrar que uma das grande expectativas de sucesso da Apple Pay esta na segurança da transação de pagamento, além de todos os atributos da marca. Quando se soma um sistema de “toquenização”, autenticação biométrica e, armazenamento seguro no dispositivo, chegamos a uma combinação extremamente segura, nas palavras de Cherian Abraham, um especialista em mobile payment.

Então onde esta o problema? Bem, fraudadores encontraram um meio de utilizar  Apple Pay com dados e informações pessoais roubadas. O ponto fraco no processo esta do lado do banco emissor do cartão de pagamento. Para poder utiliza o Apple Pay, além de digitar os dados do cartão no ambiente seguro do iPhone 6 e 6 plus, é necessário que o banco emissor do cartão faça a verificação e autorize o seu uso (em Inglês: “provision” ou “provisioning”). Tudo indica que os bancos não estão fazendo um bom serviço. Os níveis de fraude têm variado desde o lançamento, mas 600bps agora é visto como quase uma anomalia.

Certamente o problema não está na Apple Pay e com certeza será resolvido. O que sabemos é que onde há “dinheiro” haverá tentativa de fraude e os pontos fracos do processo aparecerão.

Veja a reportagem da PYMNTS.COM