Nossas
Publicações

Mastercard entra no negócio de BNPL

BNPL (Buy Now, Pay Later”), cuja tradução é “Compre Agora, Pague Depois” é um produto que está sendo lançado em diversos países, como uma inovação e ameaça aos meios de pagamentos tradicionais, como cartão de crédito. Achou estranha a palavra “inovação”? Pois é, o comércio brasileiro já oferta crédito semelhante há muito tempo. Começamos com a caderneta, evoluímos para o carnê, CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e, desde a década de 1990 utilizamos o “Parcelado sem Juros” no cartão de crédito, em substituição ao cheque pré-datado (ou pós-datado).

A Mastercard está entrando no mercado competitivo de empréstimos parcelados, permitindo que bancos e empresas iniciantes aumentem suas próprias ofertas do tipo “compre agora, pague depois”.
Na terça-feira, dia 28/09, a empresa anunciou um novo programa chamado “Mastercard Installments” para os mercados dos EUA, Austrália e Reino Unido, que entrará no ar no primeiro trimestre do próximo ano. O estilo de financiamento, cada vez mais popular, permite que os compradores dividam as compras por meio de pagamentos mensais, muitas vezes sem juros.

A Mastercard não empresta diretamente aos clientes. Sua rede atua como intermediária no processo de pagamento de cartões de crédito e débito. O Mastercard Installments permite aos bancos, credores, fintechs e carteiras digitais a capacidade de oferecer experiências BNPL aos comerciantes com flexibilidade em toda a rede de aceitação.

Os chamados empréstimos BNPL aumentam as vendas em 45% em média e reduzem o “abandono do carrinho” em 35%, de acordo com a Mastercard. Os lojistas brasileiros sabem muito bem como é importante ofertar o “Parcelado sem Juros”. Craig Vosburg, diretor de produtos da Mastercard, disse que os comerciantes veem esse tipo de financiamento como uma forma de impulsionar as vendas. Os clientes, por sua vez, tendem a recorrer a esses financiamentos como uma alternativa mais barata e conveniente ao crédito rotativo tradicional.

A norte americana Square anunciou um acordo de US $ 29 bilhões em agosto para comprar a empresa australiana AfterPay, entrando no setor. A AfterPay é uma das primeiras e mais conhecidas empresas do setor e, recentemente, firmou parceria com a Amazon para uma opção de “compre agora, pague depois” no site de e-commerce.

PayPal, Klarna, Fiserv, Affirm, American Express, Citi e J.P. Morgan Chase estão oferecendo produtos semelhantes. A Apple planeja lançar pagamentos parcelados em parceria com a Goldman Sachs, informou a Bloomberg. A Visa está desenvolvendo um produto semelhante. O CEO do Affirm, Max Levchin, está entre aqueles que argumentaram que o crédito parcelado poderia ser uma ameaça para os players tradicionais de cartões, como Mastercard e Visa, por diminuir o uso do crédito rotativo. Vosburg, no entanto, ressalta que esse tipo de transação levará a um volume “adicional” de vendas com cartão. Muitos dos pagamentos em parcelas tendem a ser uma transação de crédito Mastercard, na qual a empresa cobra uma pequena taxa. “Vemos um predomínio, em nosso programa e em outros, de pessoas que escolhem o débito Mastercard como meio de pagamento das parcelas”, disse Vosburg. “É consistente com nossa missão de oferecer opções aos consumidores em termos de como desejam pagar, e aos comerciantes em termos de como desejam ser pagos.”

Alguns analistas alertaram sobre o risco de crédito adicional e algo chamado “empilhamento de dívidas” – ou o uso de formas tradicionais de crédito para financiar esses pagamentos parcelados. Algumas ofertas de pagamento posterior também não são relatadas às agências de crédito. As empresas que oferecem esses financiamentos dizem que são capazes de usar os dados para avaliar a capacidade de crédito melhor do que um modelo de score tradicional. “Os credores não querem conceder empréstimos/financiamento correndo riscos de inadimplência ​​e não é do nosso interesse ver os credores fazendo isso – então, estamos trabalhando ativamente para melhorar a visibilidade das informações sobre a capacidade dos consumidores de pagar um financiamento”, Disse Vosburg.

“No cerne disso, os pagamentos se resumem à escolha – e as pessoas querem usar o seu potencial de compra com maior flexibilidade e controle”, diz Vosburg. “O Mastercard Installments foi desenvolvido com base em nossos princípios de proteger os consumidores e permitir a escolha do método de pagamento sem sacrificar a confiança e a segurança. É mais uma forma digital de pagamento, permitindo comprar hoje e pagar no futuro, que está sendo construída por meio de relacionamentos de maior confiança entre consumidores, bancos e outros credores, em comerciantes de sua escolha.”